Dow Jones 0,061% 22.660 pts
S&P 500 -0,261% 2.545 pts
Nasdaq -100,000% 0 pts
Ibovespa -0,284% 85.135 pts
Dólar R$ 3,315
Euro -100,000% 0 pts
Veja Mais

Gestora vê encerramentos de estímulos nos EUA e Europa e juros em queda no Brasil

Gestora vê encerramentos de estímulos nos EUA e Europa e juros em queda no Brasil
(Shutterstock)

No cenário doméstico, a instituição financeira acredita que o presidente Michel Temer deverá seguir no poder

SÃO PAULO – Os agressivos programas de estímulos monetários nas economias desenvolvidas estão cada vez mais próximos do fim, aponta a Garde Asset Management. Em carta aos cotistas, a gestora comenta que vê o cenário global indicando, cada vez mais, um processo de normalização nos principais bancos centrais do mundo desenvolvido.

Quer aprender a investir no exterior? Confira estes dois módulos grátis e faça seus investimentos

“A principal mudança no último mês foi a sinalização mais hawkish dos principais Bancos Centrais do mundo desenvolvido. O Fed (Federal Reserve) parece estar comprometido com o início da redução do balanço este ano apesar da desaceleração recente da inflação, o BCE (Banco Central Europeu) segue calmamente sinalizando a redução de suas compras mensais e o BoE (Banco da Inglaterra) assumiu uma postura mais hawkish depois da surpresa nos dados de inflação”, escreve a instituição financeira.

No entanto, no curto prazo, isso não significa nenhuma mudança estrutural, pontua a Garde. Os gestores acreditam que esse deve ser um processo de normalização bastante gradual, com os Bancos Centrais removendo estímulos conforme os dados econômicos se mostrem mais fortes.

Já no Brasil, os gestores trabalham hoje com um cenário de permanência de Michel Temer no Palácio do Planalto. “Cenários políticos convergiram para a permanência de Michel Temer na presidência, que mesmo sob fogo cruzado, tem acumulado algumas vitórias, jurídicas e políticas”, pondera a gestora.

Assim, a Garde acredita que a inflação deve seguir tendência baixa, fechando este ano a 2,9% e 2018 em 4%. Já os juros devem continuar sua trajetória de queda no país, caindo até 7,75% ao ano. Contudo, os gestores ainda afirmam que deverão acontecer turbulências no cenário doméstico no curto prazo.

Dê a sua opinião!

0 0
Foto de perfil de Leonardo Uller
Escrito por
Jornalista econômico vencedor do prêmio Especialistas da revista Negócios da Comunicação no setor Financeiro em 2015. É o editor responsável pelo FinNews. E-mail: leonardo.uller@finnews.procoders.com.br

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado.Campos obrigatórios marcados *

Você também pode utilizar estas HTML tags e atributos <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Senha perdida

Please enter your username or email address. You will receive a link to create a new password via email.